Rolinhos de couve com lentilhas, nozes e tomate seco

Desta vez partilho-vos rolinhos de couve recheados com lentilhas, nozes, tomate seco, cevadinha, e ervas aromáticas com molho de tomate. Já era altura de aparecer por aqui uma receita mais caseirinha, de conforto, porque vai ao forno.
A primeira vez que fiz esta receita foi esta semana, mas tenho a certeza que vou fazer bem mais vezes, provavelmente ao almoço calmo e demorado de domingo. E, como os dias estão a aquecer, sugiro que sirvam com curgete e beringela grelhadas, a par de uma salada de rúcula, vinagre balsâmico, tomate e azeitonas. Nada como associar o prazer de comer às nossas origens mediterrâneas.

rolinhos de couve8Não sei bem como é que esta ideia surgiu, mas algures entre os meus recheios preferidos para a maioria das confecções, estão as lentilhas. Para lhes dar algum sabor, juntei ervas aromáticas, tomate seco e limão, a par de algumas especiarias, para que não sobressaísse apenas o sabor da couve. Felizmente um molho de tomate tradicional também ajuda, e fica sempre bem nestes pratos de vegetais que vão ao forno.

Por fim, sejam criativos na preparação do recheio, e também podem usar outros tipos de couve. Se necessário, cortem um pouco o talo da couve (longitudinalmente) para que seja mais fácil de enrolar posteriormente.
rolinhos de couve
(mais…)

A minha versão do Pad Thai

Parte do encanto que sinto pelo mundo da culinária está relacionado com a necessidade de sermos criativos. Porque não somos capazes de comer o mesmo todos os dias, somos impulsionados pelo gosto do acto de cozinhar a descobrir novos sabores e variações de receitas clássicas. O Pad Thai é uma dessas receitas. Quando ouvi falar deste prato tipicamente tailandês, associei-o imediatamente a um prato com ingredientes como carnes, camarões e molho de peixe. Algo difícil de adaptar. Mas depois descobri umas centenas de adaptações vegetarianas, que incluíam tofu, edamame, vegetais variados, noodles, arroz (…), e inclusivamente o molho era completamente diferente de receita para receita, e podia mudar completamente de ingredientes… No meio de tanta versão, não faço ideia de qual é que se aproxima da original. A culinária tem destas coisas curiosas. Pega-se numa ideia e adapta-se ao nosso gosto, para a tornar ainda melhor, mas ao mesmo tempo reconhecendo que nada nasce a partir do nada, apenas criamos novas versões, e evoluímos.

Pad ThaiNesta versão do Pad Thai, inspirada numa receita do livro “Green Kitchen Travels“, utilizei noodles de curgete e cenoura para lhe dar uma textura mais crocante, mas também para fugir aos tradicionais noodles, e aproveitar este prato quase como se de uma salada se tratasse. (Afinal, não é hoje que começa a Primavera?) No entanto, para uma refeição mais saciante, sugiro que juntem noodles de trigo sarraceno ou outros da vossa preferência. Também juntei tofu e rebentos de feijão mungo, para aumentar teor proteico desta “salada”. O molho é muito diferente de muitos que já experimentei, e utiliza manteiga de amendoim, molho de soja e sumo de lima, ingredientes que nunca imaginei que pudessem combinar, mas resultam muito bem neste prato fresco. Por fim, sugiro que guarneçam o prato com amendoins crocantes, sementes levemente tostadas, e coentros frescos, para dar uma textura e aroma ainda melhor a esta versão do Pad Thai!

sprouts
(mais…)

Granola crocante de amêndoa e banana

granola de manteiga de amêndoa e banana1
Nunca vos partilhei isto, mas as receitas publicadas no blog seguem uma distribuição por tipo de refeição. E por isso as ideias que vou tendo aponto-as num papel, e depois ordeno-as de acordo com essa distribuição. E é curioso como as semanas em que anseio mais em cozinhar e tirar fotografias para o blog são aquelas dedicadas ao pequeno-almoço! Não só é a minha refeição do dia preferida (também vos acontece acordar e pensar logo em comida?), como também adoro pensar em receitas e diferentes combinações de granolas, papas, barritas, batidos (…).

Mas de todas as receitas que já vos partilhei até hoje para o pequeno-almoço, aquelas que fazem os olhos brilhar de gula são as granolas. Se o meu estômago pudesse escolher, todos os dias, o pequeno-almoço seria granola. Um snack doce e crocante (por causa do seu teor em gordura), prático, e delicioso com alguma fruta fresca e iogurte natural.

Mas não como todos os dias granola. Dou preferência a umas papas de aveia com frutos gordos e sementes e fruta, e uns batidos ocasionais com proteínas vegetais. E até porque a granola tende a ter alguma gordura adicionada e açúcar (porque são confeccionadas com xaropes, certo? Não vamos cair no erro de dizer que é sem açúcar quando contém xaropes…). Então tenho vindo a experimentar várias receitas de granola em que utilizo fruta para reduzir os xaropes e gorduras. Uma das receitas que mais gostei foi esta que vos partilho de banana e manteiga de amêndoa.

Apesar do resultado final não ser igual a uma granola tradicional, esta receita faz uns clusters crocantes de aveia que revelaram ser muito práticos para comer na faculdade entre as refeições, tem um aroma óptimo a amêndoa e canela, e não é excessivamente doce, nem é desenxabida porque tem a banana a adoçar. Também podem experimentar fazer esta granola com puré de maçã se não gostarem de banana, substituir as sementes e frutos gordos por outros, aveia ou coco ralado, e podem usar a manteiga de amendoim (ou outras) no lugar da manteiga de amêndoa (relembro que este artigo tem as instruções para poderem fazer a vossa própria manteiga em casa).

granola de manteiga de amêndoa e banana6 (mais…)