Pequeno-almoço

Aveia no forno com maçã, pêra e nozes

aveia no forno com maçã e pêra
A ideia de fazer aveia no forno surgiu há pouco tempo ao desfolhar o livro da Angela Liddon, “The Oh She Glows Cookbook“, e ver uma receita de papas de aveia no forno, com uma crosta crocante de nozes, e maçã no seu interior. Para além da combinação ser uma das minhas combinações preferidas (maçã + nozes), esta forma de cozinhar a aveia também me intrigou, e revelou ser bem mais saborosa do que as tradicionais papas cozidas, acabando por ficar um pouco mais solta (talvez por adição do fermento químico), e sem os flocos perderem a sua consistência.

Sem alterar muito a receita original, juntei as nozes por cima da aveia para dar a mesma superfície crocante, que contraste bem com o recheio típico cremoso da aveia e maçã bem cozida. Alterei as proporções de açúcar, mas ainda assim, depois de ter reduzido substancialmente a quantidade de açúcar, considero que pode ser até mesmo opcional a sua adição, e podem tentar substituir por algumas tâmaras cortadas em pedacinhos pequenos, ou até mesmo passas, porque no forno cozem lentamente e deixam a aveia igualmente doce. Podem também substituir os flocos de aveia por outros à vossa escolham, de que disponham em casa, e tentem adequar as especiarias a gosto! Eu gosto de um sabor intenso a canela, e por isso ainda junto mais uma colherzinha de chá. Se maçã e pêra não faz o vosso gosto, banana, mirtilos e morangos também são boas substituições!

aveia no forno com maçã e pêra6 (mais…)

Panquecas de trigo sarraceno e manteiga de amêndoa

As duas últimas semanas complicaram o esquema das publicações do blogue porque infelizmente não tenho tido o mesmo tempo para cozinhar e planear receitas. Era inevitável começar a sentir-me mais stressada nesta fase por causa da faculdade, mas, por sorte, (quase como se as estrelas se tivessem alinhado no momento perfeito), após ter descoberto por mera sorte uma professora de ioga com a qual me identifiquei de imediato, com aulas focadas no que procurava, num local perto de casa, finalmente consegui retomar a prática de ioga regular, e sinto que retomei à normalidade. Ando menos preocupada, apesar de continuar com os trabalhos e relatórios da faculdade para fazer, mas pelo menos já consigo pensar claramente sem me deixar consumir por tudo isto. Pelo menos já consigo respirar fundo e realmente abstrair-me por momentos.
Almond butter buckwheat pancakes
No artigo de hoje partilho convosco umas panquecas que fizeram parte das minhas recentes experiências na culinária sem glúten. O objectivo era conseguir uma textura semelhante às panquecas tradicionais, saborosas, e se possível nutricionalmente interessantes, daí ter escolhido a farinha de trigo-sarraceno, que é uma das minhas preferidas pelo seu valor nutritivo, e sabor curioso. Como esta farinha altera o sabor das panquecas, escolhi a manteiga de amêndoa para acompanhar, (ou manteiga de amendoim se preferirem), banana para dar doçura, e canela por ser aromática e acompanhar tão bem pratos reconfortantes como as panquecas.

A propósito desta receita, deram-me a conhecer esta marca de suplementos, a My protein. Achei curioso marcas de suplementos destinados maioritariamente a indivíduos que treinam com propósito, apostarem cada vez mais em linhas de produtos destinados a vegans, como proteínas vegetais de arroz, ervilha, cânhamo, soja, ou esta mistura dos três primeiros, com preços bastante interessantes. Realço também a gama de farinhas, que inclui a trigo-sarraceno, que está a fazer parte das minhas recentes invenções da culinária sem gluten, os frascos de manteigas de frutos gordos de 1kg, dos quais provei a manteiga de amêndoa, e que me deixou bastante satisfeita pela qualidade se igualar à que faço em casa, e o óleo de coco virgem bio.

Almond butter buckwheat pancakes2 (mais…)

Crepes integrais com pêssego e iogurte

Beach
Nestas últimas semanas ausentei-me um bocadinho do blogue para aproveitar o que restava das minhas férias de estudante, e fui conhecer um pouco da costa mediterrânica ocidental. Entre La Valletta, tão repleta de história, praias que pareciam pequenos pedaços do paraíso na Sicília, e o belíssimo e natural norte de Itália, trouxe comigo algumas influências da gastronomia mediterrânea, essencialmente italiana, que provavelmente vou partilhar convosco futuramente. Para já, continuo os próximos artigos com algumas ideias já planeadas, como estes crepes.
Peach yogurt crepes
Já há algum tempo que tinha prometido a mim mesma partilhar-vos uma receita de crepes. Decidi partilhar-vos a minha receita mais simples, com farinha de trigo integral, mas esta receita também funciona muito bem com farinha de espelta. Em breve vou também começar a experimentar com farinha de trigo-sarraceno para uma versão sem glúten, após alguns pedidos de receitas sem esta proteína.
Quanto a esta receita, aviso que a massa deste crepe tende a ser ligeiramente mais densa do que a dos crepes tradicionais, porque a farinha de trigo integral conserva algum do farelo e gérmen, deixando a massa dos crepes mais “pesada”. Por esta mesma razão, é mais difícil espalhar a massa, e por isso os crepes também tendem a ser ligeiramente menos finos. Acho que é uma questão facilmente ultrapassável, mas se preferirem podem substituir metade do volume de farinha integral por farinha branca para melhores resultados.
Peach yogurt crepes
Como também já estamos quase a chegar ao final do verão, decidi que seria a minha última receita com o meu fruto preferido, o pêssego. Mas se já estiverem a faltar por vossa casa, parece-me (segunda a minha última visita à quinta), que estão para vir umas maçãs bem suculentas em breve que também merecem algum protagonismo.
(mais…)