Pratos principais & Acompanhamento

Salada mediterrânica de grão-de-bico com “feta” de tofu


Aproveitando alguns dos melhores ingredientes da estação que está agora a chegar ao fim, hoje partilho-vos uma salada de tomate, pepino e grão-de-bico, generosamente aromatizada com manjericão, e que incluí uma forma diferente de preparar tofu.
Nesta receita, o tofu é apenas marinado em azeite, ervas aromáticas secas, alho esmagado e pimenta preta em grão. Como beneficia do facto de se tratar de um alimento pré-preparado, após absorver o sabor da marinada durante algumas horas, pode ser adicionado a saladas, ou outros pratos.
A ideia de servir o tofu preparado desta forma surgiu depois de receber alguns pedidos de sugestões de marmitas vegetarianas que não necessitassem de ser aquecidas. E esta forma de preparação pode ser uma alternativa conveniente, apta a pratos frios, e que também favorece o tofu pela melhoria no sabor que é conseguida após algumas horas de marinada, que enriquece o seu sabor neutro. A textura firme do tofu e a sua aplicação numa salada fez-me lembrar o queijo feta, explicando o nome da receita, ainda que seja muito diferente em termos de complexidade de sabor e de textura…


Tal como referido anteriormente, o tofu depois de marinado pode ser adicionado a quaisquer saladas de verduras e legumes, com leguminosas ou cereais cozidos (aproveito para relembrar este guia para fazer saladas), mas deixo como exemplo esta salada muito, muito básica, de grão-de-bico, para se inspirarem. As porções desta salada possivelmente poderão não ser muito generosas para alguns. Nesse caso, podem juntar massa cozida (cotovelos, hélices ou macarronete, por exemplo) ou adaptar ao vosso gosto.


(mais…)

Como fazer “hambúrgueres” de leguminosas


Os vegetais, leguminosas, frutos gordos ou tofu quando desfeitos e envolvidos em condimentos, também podem dar origem a preparados muito ricos em sabor, e com uma aplicação culinária bastante diferente! Neste pequeno guia, desenvolvido a pensar em quem se está a iniciar na culinária vegetariana, pode encontrar receitas base que transformam as leguminosas em hambúrgueres ou almôndegas, ou que até podem ser utilizadas noutros formatos, como num rolo para assar (quando colocadas numa forma de fazer pão, revestida com papel vegetal) ou até desfeitas (se aquecer uma frigideira com um fio de azeite e colocar a massa, solta, e deixar dourar) para rechear wraps. (mais…)

Tarte de tomate-cereja e húmus


Gostava de vos ter trazido novidades mais cedo, mas as circunstâncias mudaram desde as últimas publicações, e admito que tive dificuldade em manter este hábito diário de organizar as ideias de receitas, colocá-las em prática e passá-las até vocês. Agradeço a quem teve a preocupação de enviar mensagens e e-mails neste período, e a quem ajudou a manter o blog ativo, através das visitas, partilhas, comentários e partilha dos resultados de receitas que foram colocando em prática.
Posto isto, achei que estava na altura de recomeçar a página, e dar-vos a novidade de que está prevista em outubro a publicação do livro de receitas que partiu deste projeto!


Agora, passando à descrição da receita. A receita partiu de uma ideia que ficou por concretizar durante o planeamento de um workshop. E ficou guardada até bem recentemente, quando o início da época do tomate pareceu justificar colocar, finalmente, a ideia em prática.

Não estimem a complexidade da receita pelo tamanho do procedimento. O único passo mais crítico é apenas o manuseamento da massa filo, para quem não está familiarizado com a sua utilização. Neste caso, poderá encontrar uma sugestão para manter a hidratação da massa no procedimento.
Utilizei apenas ½ pacote de uma embalagem de 120g de massa filo mas, para esta quantidade de recheio, poderiam ser utilizados 100 a 120g, para obter uma base mais consistente. Ainda sobre a massa filo, como depois de confecionada tende a ficar menos estaladiça com o passar do tempo, sugiro que a tarte seja imediatamente servida.

A pensar na massa filo crocante, o recheio tinha de ser cremoso e saboroso, e por isso utilizei o húmus de leve sabor a citrinos, coberto de tomates-cereja que rebentam na boca de sabor, e alguns pinhões tostados que também fornecem alguma textura à tarte, e conservam o sabor amargo característico dos frutos gordos. Os pinhões podem ser omitidos ou, substituídos por azeitonas cortadas ou frutos gordos do vosso gosto.


(mais…)