Sopas

Sopa de feijão branco e couve

sopa de feijão branco e couve galega.1
Espero que tenham gostado da última receita do blog pois esta semana volto a partilhar-vos uma receita conveniente, acessível, e, muito, muito simples. A partilha destas receitas tem como objetivo o desenvolvimento de uma ementa, um pequeno compêndio de receitas básicas, para aqueles que pretendem fazer refeições vegetarianas, mas que ainda receiam experimentar confecioná-las. Esta pequena ementa também terá as várias refeições do dia-a-dia, com o respetivo valor nutricional.

couve galega
Na ementa que vos descrevo, esta sopa surge como forma de incorporar mais hortícolas na refeição, especialmente vegetais de folha de cor verde-escura, e, também, leguminosas, para complementar algumas receitas, tal como a última que vos partilhei.
A receita da sopa que vos partilho é baseada na que faço diariamente em casa. A base da sopa é feita com vegetais, neste caso foi com cenoura, curgete e cebola, mas também podem substituir por abóbora, chuchu, couve-flor, alho-francês, ou outros hortícolas e tubérculos a gosto. Gosto de juntar quase sempre couves, ou outros vegetais de folha de cor verde-escura, para juntar à base sobrenadante, ou, para triturar em creme. Fora este aspeto, tento variar os vegetais utilizados, tendo também em conta a sazonalidade, e a disponibilidade da nossa horta, mas a receita-base da sopa é esta. Uma receita simples, que, em cada taça consegue fornecer cerca de 150g de vegetais, sendo por isso uma preparação que se destaca pela densidade nutricional, ao mesmo tempo que é económica, e de fácil confeção.

Por fim, gosto de juntar algumas ervas aromáticas à sopa, e até um pouco de pimenta preta acabada de moer, só mesmo pelo sabor e como forma de reduzir um pouco a adição de sal, e, para finalizar, um fio de azeite.

sopa de feijão branco e couve galega4
(mais…)

Sopa de lentilhas e abóbora, com azeite aromatizado

Tenho o hábito de iniciar quase sempre as refeições principais com uma sopa de hortaliças e legumes, que não variam muito da cenoura, abóbora, curgete, e couves, grelos ou espinafres, de acordo com a disponibilidade de vegetais na horta. Mas também vario, e gosto de fazer sopas mais densas, às vezes no lugar da refeição principal, com leguminosas variadas, e outros legumes, e com especiarias e ervas aromáticas.
Desta vez fiz um creme de lentilhas vermelhas com abóbora, gengibre, raspa de uma laranja, e os habituais condimentos. Servi o creme guarnecido com amendoins tostados porque se este creme fosse uma refeição principal (vegetariana), achei que deveria ser enriquecido nutricionalmente com alguma proteína, e gorduras. Mas é também uma forma de juntar outras texturas ao creme.

Sopa de lentilhas e abóbora3
A ideia de aromatizar o azeite pareceu-me interessante, pois achei que poderia ser mais um veículo de sabor e aroma nas marinadas, ou na finalização de pratos, como saladas, e em pratos quentes como sopas.
A receita que vos partilho tem um procedimento diferente das receitas que vão encontrar online. A ideia de aquecer a gordura e voltar a armazená-la simplesmente não me parecia correcta, e por isso para fazer este azeite aromatizado, preferi juntar o piripiri seco (moído ou não), as estrelas de anis e o louro seco, e esperar 1 semana até que desvolvesse o aroma que procurava. Depois podem, ou não, coar o azeite, e está pronto a ser usado. Em alternativa ao louro, podem utilizar outras ervas aromáticas secas da vossa preferência, mas não recomendo a utilização de ervas frescas, pois diminui significamente o tempo de prateleira do mesmo. Para além do piripiri também podem juntar pimenta em grão ou bagas de zimbro.

Sopa de lentilhas e abóbora1.5
(mais…)

Creme de brócolos e espinafres

sopa verde5
Os dias já estão a crescer, surgindo assim novos legumes nos mercados, que pedem receitas e confecções diferentes. Mas há certos que pratos que ainda assim não consigo deixar de lado nas estações que se seguem, e um deles é a sopa.
Uma das confeções culinárias que mais carcteriza a alimentação Portuguesa, a sopa está na nossa mesa todos os dias antes das refeições principais. É um hábito que enraizei em miúda do qual não dispenso. Mas se possível, gosto de fazer sopas variadas para fugir à sopa tradicional com base de batata, cenoura e curgete e as couves tenras cortadinhas. Nada contra esta versão, aliás, até é uma excelente forma de acrescentar mais vegetais na alimentação (para quem não gosta dos legumes crús, cozidos ou salteados), induz a saciedade, é uma boa fonte de vitaminas e minerais, e substâncias protectoras do nosso organismo, como antioxidantes, e ajuda a uma adequada hidratação.
Legumes
Desta vez fugi um bocadinho ao tradicional, e fiz um creme de espinafres e brócolos, com um pouco de gengibre, alho e salsa, para tornar a sopa mais aromática, sem necessidade de juntar colheradas de sal. As leguminosas (grão-de-bico), permitem que a sopa fique mais cremosa, sendo a adição de batata opcional.

Por fim, não é comum decorar as sopas, mas pareceu-me bem partilhar-vos uma das minhas mais recentes descobertas para levar as sopas e saladas a outro nível – o Dukkah. É uma mistura aromática de especiarias como cominhos, coentros, funcho e pimenta preta com avelãs tostadas crocantes, que deixam qualquer prato mais aromático. Podem, no entanto, decorar a sopa com algumas folhas de salsa, fatias de rabanete, ou rebentos, e um fio de azeite, para uma guarnição igualmente apelativa (e nutritiva!).
dukkah
(mais…)