Inverno

Queques de grão-de-bico e vegetais


A sugestão que vos partilho esta semana são uns queques salgados feitos com farinha de grão-de-bico. Esta receita dá resposta a uma dúvida que persistia na receita das Quiches individuais de cebola caramelizada, onde o recheio da tarte foi conseguido triturando grão-de-bico demolhado. Este passo mais trabalhoso era uma alternativa à utilização da farinha de grão-de-bico, frequentemente indicada na elaboração deste género de receitas, mas que na altura tinha alguma dificuldade em encontrar. Alguns leitores da página ainda questionaram a quantidade de farinha a utilizar na massa, no lugar do grão-de-bico demolhado, mas admito que não consegui realmente experimentar essa opção na altura.

Assim, a massa desta receita surge como alternativa ao recheio da receita das quiches de cebola caramelizada, podendo ser utilizada ¼ da massa proposta em baixo para fazer as 4 “quiches” individuais.


Como apresentei a receita sem a crosta, até lhe atribuí outro nome, mas não esperem uma massa fofa como um queque, mas uma massa mais coesa e densa, que envolve bem os vegetais.
Para enriquecer a massa de grão-de-bico, deixo-vos 2 opções de recheio: um de abóbora, cogumelos, nozes e tomilho, com ingredientes desta estação e que deixa a massa com um sabor ligeiramente adocicado da abóbora; e, outra opção, de tomate e curgete, que permite obter uma massa mais húmida, e rica em sabor pela utilização das diferentes ervas aromáticas.


Neste género de aperitivos ou snacks salgados, práticos, relembro ainda uma variação que partilhei recentemente nas redes sociais, com ingredientes menos tradicionais, mas que alguns de vocês até possam gostar e achar mais prática relativamente à utilização da farinha de grão-de-bico.

(mais…)

Batido de kiwi

kiwi smoothie4
Hoje partilho-vos uma receita de um batido muuuiiito simples. Espero que me dêem um desconto, só desta vez, porque estou em estágio e ainda não consegui reproduzir nada na cozinha digno de ser partilhado, com a exceção deste batido.

Já devem ter reparado que não faço frequentemente batidos, mas quando os partilho, gosto de incluir uma variedade de fruta, vegetais, iogurte (ou bebidas vegetais), oleaginosas ou sementes, ou aveia (…). Desta vez, dada a abundância de kiwis caseiros, aproveitei para os transformar em batido e experimentar outras combinações. Já tinha saudades de um batido mais fresco, por isso juntei-lhe menta fresca e um bocadinho de raspa de lima (se tolerarem um batido mais ácido, juntem também um pouco de sumo, que, para quem gostar de lima, até fica agradável). Enriqueci-o com frutos gordos, e os espinafres. É claro, ajustem os ingredientes a gosto. Já sei que alguns vão torcer o nariz com os espinafres, por isso, podem omiti-los.

Por fim, não se esqueçam de tornar o batido guloso! Eu gosto de adicionar um pouco de granola caseira, desta receita de granola de banana, mas em vez de banana, até prefiro adoçar com maçã cozida, porque acho que fica mais crocante, sem necessidade de adicionar xaropes ou gorduras. Fatias de banana ou morangos, raspas de chocolate negro, sementes, lascas de coco, entre outros, também fazem óptimos toppings, por isso, sejam criativos!

kiwi smoothie7
(mais…)

Sopa de lentilhas e abóbora, com azeite aromatizado

Tenho o hábito de iniciar quase sempre as refeições principais com uma sopa de hortaliças e legumes, que não variam muito da cenoura, abóbora, curgete, e couves, grelos ou espinafres, de acordo com a disponibilidade de vegetais na horta. Mas também vario, e gosto de fazer sopas mais densas, às vezes no lugar da refeição principal, com leguminosas variadas, e outros legumes, e com especiarias e ervas aromáticas.
Desta vez fiz um creme de lentilhas vermelhas com abóbora, gengibre, raspa de uma laranja, e os habituais condimentos. Servi o creme guarnecido com amendoins tostados porque se este creme fosse uma refeição principal (vegetariana), achei que deveria ser enriquecido nutricionalmente com alguma proteína, e gorduras. Mas é também uma forma de juntar outras texturas ao creme.

Sopa de lentilhas e abóbora3
A ideia de aromatizar o azeite pareceu-me interessante, pois achei que poderia ser mais um veículo de sabor e aroma nas marinadas, ou na finalização de pratos, como saladas, e em pratos quentes como sopas.
A receita que vos partilho tem um procedimento diferente das receitas que vão encontrar online. A ideia de aquecer a gordura e voltar a armazená-la simplesmente não me parecia correcta, e por isso para fazer este azeite aromatizado, preferi juntar o piripiri seco (moído ou não), as estrelas de anis e o louro seco, e esperar 1 semana até que desvolvesse o aroma que procurava. Depois podem, ou não, coar o azeite, e está pronto a ser usado. Em alternativa ao louro, podem utilizar outras ervas aromáticas secas da vossa preferência, mas não recomendo a utilização de ervas frescas, pois diminui significamente o tempo de prateleira do mesmo. Para além do piripiri também podem juntar pimenta em grão ou bagas de zimbro.

Sopa de lentilhas e abóbora1.5
(mais…)