Vitamina D

A vitamina D apresenta um papel essencial na saúde óssea através da promoção da absorção de cálcio e normal mineralização dos ossos. Está naturalmente presente em poucos alimentos, pode ser utilizada na fortificação de géneros alimentícios, e pode ser sintetizada endogenamente após exposição cutânea à radiação UV-B da luz solar1. No entanto, a síntese endógena pode ser limitada por fatores como a estação do ano, a pigmentação cutânea, a idade, ou a utilização de protetor solar1.

Fontes alimentares e a suplementação são frequentemente necessárias para atingir as necessidades deste nutrimento. Alguns estudos sugerem que os vegetarianos apresentam níveis séricos de 25-hidroxivitamina D [25(OH)D] baixos2-4, no entanto, as recomendações de vitamina D habitualmente não são atingidas quer em populações vegetarianas quer em não vegetarianas5,6. Níveis séricos baixos de 25(OH)D parecem ter um efeito negativo a longo prazo na densidade mineral óssea2.

Algumas fontes alimentares de vitamina D incluem lacticínios fortificados, para ovo-lacto-vegetarianos, e bebidas vegetais, cremes vegetais, cereais de pequeno-almoço, entre outros alimentos fortificados, para veganos7. No entanto, ressalva-se que a quantidade fornecida pelos alimentos pode ser limitada, especialmente em relação à atual recomendação de 600 IU/dia (15 µg/dia), para a população entre os 19 e os 70 anos1, sendo que poderá ser necessária a suplementação.

A suplementação é frequentemente feita com vitamina D3 (colecalciferol), derivada da lanolina (lã de ovelha), que é evitada por quem segue um estilo de vida vegano. Atualmente também já estão disponíveis suplementos de vitamina D3 de origem vegetal, isolada de líquenes8. Outra fonte de vitamina D de origem vegetal é a vitamina D2 (ergocalciferol). Existe alguma controvérsia em relação à equivalência destas duas formas de vitamina D. Em doses mais baixas parecem ser equivalentes, enquanto em dosagens mais elevadas, a vitamina D2 parece ser menos eficiente na elevação dos níveis séricos de 25(OH)D1.

Bibliografia:
1. Food and Nutrition Board, Institute of Medicine. Dietary Reference Intakes for calcium and vitamin D. Washington, DC: National Academies Press; 2011.
2. Outila TA, Karkkainen MU, Seppanen RH, Lamberg-Allardt CJ. Dietary intake of vitamin D in premenopausal, healthy vegans was insufficient to maintain concentrations of serum 25-hydroxyvitamin D and intact parathyroid hormone within normal ranges during the winter in Finland. J Am Diet Assoc 2000;100:434-41.
3. Ho-Pham LT, Vu BQ, Lai TQ, Nguyen ND, Nguyen TV. Vegetarianism, bone loss, fracture and vitamin D: a longitudinal study in Asian vegans and non-vegans. Eur J Clin Nutr 2012;66:75-82.
4. Crowe FL, Steur M, Allen NE, Appleby PN, Travis RC, Key TJ. Plasma concentrations of 25-hydroxyvitamin D in meat eaters, fish eaters, vegetarians and vegans: results from the EPIC-Oxford study. Public Health Nutr 2011;14:340-6.
5. Silva S, Pinho J, Borges C, Santos C, Santos A, Graça P. Linhas de Orientação para uma Alimentação Vegetariana Saudável. Lisboa: Programa Nacional para a Promoção da Alimentação Saudável. Direção-Geral da Saúde; 2015.