Aveia

Bolo crumble de morango e framboesa

Frequentemente recebo mensagens de leitores do blog a perguntar-me como é que eu adapto receitas tradicionais de bolos, de modo a torná-los veganos ou mais saudáveis. Confesso que ainda tenho alguma dificuldade em fazer estas adaptações, mas aquilo que tenho aprendido com a minha (pouca) experiência na área da pastelaria vegana, é que as alterações em receitas devem ser graduais, e não devemos esperar que alterações drásticas resultem num bolo saboroso. (Porque, honestamente, farinha de quinoa ou amêndoa, podem ser ingredientes impossíveis num bolo vegano).

Não tenho por hábito adaptar receitas tradicionais com ovos, leite ou manteiga, prefiro pegar em receitas já veganas e fazer adaptações ao meu gosto. Acredito que os bolos veganos acabam por ter procedimentos completamente diferentes dos bolos tradicionais, e nem sempre seguir uma receita tradicional omitindo alguns ingredientes vai correr como o esperado. No caso do bolo que se segue, adaptei a receita da massa deste bolo de limão.

bolo de morangos
Antes de mais, quando fazemos bolos caseiros temos de ter em conta a textura do bolo, que deve ser fofa e coesa. Estas características dependem das proteínas do ovo (ovoalbumina) e do trigo (glúten), que depois de desnaturadas mecanicamente, vão permitir o “aprisionamento” de bolhas de ar formadas através da utilização de fermento químico ou através da formação das claras em castelo, técnicas que permitem que o bolo fique com aquela aparência fofa decorrente da formação das pequenas bolhinhas de ar. Ora, nos bolos veganos o principal estabilizador da estrutura do bolo é o glúten, por isso é que em algumas receitas ainda utilizo farinha de trigo..
Posto isto, relativamente às farinhas, se quiserem fazer um bolo guloso, alto e fofo para impressionar os familiares e amigos, o melhor é utilizarem a farinha de trigo e, no máximo, se quiserem juntar outras farinhas e fornecer alguma fibra, podem substituir até 1/4 do peso da farinha de trigo por outras farinhas, com bons resultados.

Relativamente aos ovos, em algumas receitas tradicionais que utilizam poucos ovos (até 2), como a estrutura do bolo vai depender essencialmente do glúten, é possível omitir os ovos com bastante sucesso no resultado final do bolo. Nestas situações até uso as sementes de linhaça moídas, na proporção de 1 colher de sopa para 3 colheres de água, em substituição de 1 ovo. Porquê linhaça? Porque é rica em fibras solúveis que pelas suas propriedades visco-elásticas permitem o tal “aprisionamento” das bolhas de ar formadas pelo bicarbonato de sódio ou fermento químico. Poderá ser necessário compensar a quantidade de fermento químico ou bicarbonato de sódio relativamente a uma receita tradicional, para que se forme mais CO2. (A utilização de sementes de linhaça também é vantajosa noutras preparações como nas bolachas, biscoitos ou queques).

bolo de morangos6
Quanto a outros ingredientes: leite, açúcar, manteiga ou óleos acho que não restam muitas dúvidas. O leite pode ser substituído com sucesso por bebidas vegetais de soja, arroz, aveia (…). E incorporando alguns princípios da culinária saudável, tento reduzir o açúcar sempre que possível, não havendo nenhum benefício evidente na substituição deste por xaropes. É possível também substituir o açúcar por purés de fruta ou tâmaras, e esta receita é um exemplo disso. A manteiga pode ser substituída por óleos de qualidade, e tento usar azeite sempre que possível, especialmente em bolos com sabores fortes, como no bolo de chocolate ou em bolos onde o sabor predominante são as frutas, mas também em receitas onde a quantidade de gordura é relativamente pouca. Também tento reduzir a quantidade de gordura substituindo por puré de fruta como o de banana, abacate, maçã, ou até mesmo de pêra. Assim, com a utilização de puré de fruta, podemos substituir parte da gordura e do açúcar, e ainda obtemos bolos mais húmidos e fofos, e também mais saudáveis!

Por fim, resta-me apenas dizer-vos que o insucesso também faz parte do percurso, e se fizerem alguns bolos menos apetecíveis também é normal, mas o importante é aprender com os erros, e continuar a experimentar! Aproveitem as frutas sazonais para fazer bolos diferentes, recheios e toppings criativos como a receita que segue abaixo, com um qb de gulodice. E sempre que possível, fazendo substituições mais saudáveis, mas que não ponham em causa o prazer de comer uma boa fatia de bolo!

bolo de morangos1
(mais…)

Granola crocante de amêndoa e banana

granola de manteiga de amêndoa e banana1
Nunca vos partilhei isto, mas as receitas publicadas no blog seguem uma distribuição por tipo de refeição. E por isso as ideias que vou tendo aponto-as num papel, e depois ordeno-as de acordo com essa distribuição. E é curioso como as semanas em que anseio mais em cozinhar e tirar fotografias para o blog são aquelas dedicadas ao pequeno-almoço! Não só é a minha refeição do dia preferida (também vos acontece acordar e pensar logo em comida?), como também adoro pensar em receitas e diferentes combinações de granolas, papas, barritas, batidos (…).

Mas de todas as receitas que já vos partilhei até hoje para o pequeno-almoço, aquelas que fazem os olhos brilhar de gula são as granolas. Se o meu estômago pudesse escolher, todos os dias, o pequeno-almoço seria granola. Um snack doce e crocante (por causa do seu teor em gordura), prático, e delicioso com alguma fruta fresca e iogurte natural.

Mas não como todos os dias granola. Dou preferência a umas papas de aveia com frutos gordos e sementes e fruta, e uns batidos ocasionais com proteínas vegetais. E até porque a granola tende a ter alguma gordura adicionada e açúcar (porque são confeccionadas com xaropes, certo? Não vamos cair no erro de dizer que é sem açúcar quando contém xaropes…). Então tenho vindo a experimentar várias receitas de granola em que utilizo fruta para reduzir os xaropes e gorduras. Uma das receitas que mais gostei foi esta que vos partilho de banana e manteiga de amêndoa.

Apesar do resultado final não ser igual a uma granola tradicional, esta receita faz uns clusters crocantes de aveia que revelaram ser muito práticos para comer na faculdade entre as refeições, tem um aroma óptimo a amêndoa e canela, e não é excessivamente doce, nem é desenxabida porque tem a banana a adoçar. Também podem experimentar fazer esta granola com puré de maçã se não gostarem de banana, substituir as sementes e frutos gordos por outros, aveia ou coco ralado, e podem usar a manteiga de amendoim (ou outras) no lugar da manteiga de amêndoa (relembro que este artigo tem as instruções para poderem fazer a vossa própria manteiga em casa).

granola de manteiga de amêndoa e banana6 (mais…)

Bolo de chocolate com recheio de frutos silvestres

Há cerca de 2 semanas o blogue fez 3 anos desde que comecei a partilhar-vos as primeiras receitas. “Wow, 3 anos?!” Sim, é verdade, 3 anos que passaram a voar ao vosso lado, e eu não poderia estar mais grata por esta experiência, tanto pelo que tenho vindo a aprender, como pelas experiências que me tem proporcionado. Mas também acarreta cada vez mais uma certa responsabilidade, a de partilhar convosco receitas mais saudáveis e ocasionalmente informação nutricional fidedigna, neste pequeno espaço onde só se fala do mundo vegetal.
Bolo

Desta vez, em jeito de celebração, escolhi partilhar-vos um bolo de chocolate com um bocadinho menos de gordura e açúcar do que aquele que já tinha partilhado previamente convosco por aqui.

Esta nova versão do bolo de chocolate conta com a adição de puré de maçã, que permite deixar o bolo húmido e fofo. Também juntei bem menos açúcar (menos de metade), o que me pareceu adequado ao meu gosto, mas se necessário juntem um pouco mais para se adequar ao vosso palato. Podem juntar xarope de arroz ou maple syrup ou açúcar refinado, como preferirem, pois no final, são todos constituídos por açúcares, e vão levar a um rápido aumento dos níveis de glicose no sangue.

É por isso que evito comer doces, independentemente do tipo de açúcares que levam (xaropes ou açúcar cristalizado). Mas quando como, são quase sempre feitos por mim (por isso sei o que levam, e por aqui não há margarinas, ou shortenings com gorduras trans), tento sempre reduzir a quantidade de açúcares adicionados, e tento juntar frutas para que o resultado final não fique desenxabido, claro! O importante é que comer um doce ou uma sobremesa seja algo esporádico, pois por muito saudável que possa parecer um bolo, tanto neste blog como nos outros, não se deixem enganar pelos xaropes, açúcar de coco ou farinhas integrais. É mais um doce. Deve ser evitado ou consumido de forma ocasional. E no que toca a ser saudável, quando a redução do consumo de açúcares é tópico da ordem do dia, há alterações de estilo de vida igualmente (ou até mais) importantes como a prática de exercício físico, tantas vezes esquecida.

bolo

Uffff, bem, já chega de comentários do foro nutricional e vamos passar ao que interessa, o nosso bolinho de celebração!

Como sempre, é um bolo vegan, e desta vez juntei sementes de linhaça à massa, mas também o habitual bicarbonato de sódio e vinagre (ou sumo de limão), que vão deixar este bolo com uma boa textura e consistência, mesmo sem a adição de ovos.

A cobertura que utilizei foi esta de coco, decorei com groselhas, e o recheio é de frutos silvestres com um pouco de cajus, para conseguir um molho mais cremoso e denso, para unir as camadas do bolo.

bolo
(mais…)