Espinafres

Laksa de batata-doce, tofu e espinafres

Recebi no ano passado o novo livro do Jamie Oliver “Receitas Saudáveis”, mas só agora tive oportunidade de vos partilhar uma sugestão inspirada numa receita do livro.
Uma das receitas que me saltou imediatamente à vista foi a de “Laksa de abóbora no forno”. Não é vegetariana, mas isso não me impediu de puxar um bocadinho pela criatividade e elaborar um prato completamente diferente, mas igualmente empolgante. Na verdade, quando me sugerem a divulgação de um livro, gosto de lhe dar sempre um toque pessoal, e pegar numa técnica, ou, como neste caso, numa mistura de sabores de uma receita, e adaptar às ideias que vão surgindo na minha cozinha, como aconteceu neste caso.

Depois de conhecer a versão do Laksa de Jamie Oliver, verifiquei que era possível recriar este caldo aromático com os ingredientes que tinha disponíveis, não perdi tempo e coloquei em prática a minha versão.

Sweet potato laksa3
Vou ser sincera, conheço muito, muito pouco da culinária tradicional do Sudeste Asiático, mas penso que o Laksa se trata de um caril/caldo de sabor rico, cuja base é o leite de coco, e é tradicionalmente servido com noodles de arroz, e peixe, frango ou camarões.

Tentei trazer alguns destes sabores deliciosos da culinária do Sudeste Asiático para a minha cozinha, mas sinceramente não faço ideia se este molho que vos partilho hoje será igual ao tradicional. Gosto de pensar que sim, que vão um pouco de encontro ao original, e por isso coloquei algum esforço na elaboração da pasta do laksa, e usei especiarias inteiras (previamente tostadas) e alguns ingredientes menos comuns na minha cozinha. Obtive uma pasta aromática, mas um pouco apurada, por isso, apenas usai metade para o caldo. A restante pasta pode ser guardada no frigorífico, e consumida até uma semana depois de preparado.
Para fazer o caldo, juntei a pasta de Laksa, um pouco mais de leite de coco, açafrão-das-Índias e os “noodles”. Por fim, servi numa taça com tofu cortado em cubos (que fritei ligeiramente antes de adicionar, para dar mais firmeza), espinafres, que imediatamente ficaram amolecidos com o calor do caldo quente, coentros frescos e amendoins.

Laksa de batata-doce
A ideia dos noodles de batata-doce surgiu depois de pensar em estratégias divertidas para o meu irmão mais novo incorporar mais vegetais no prato. E, depois de ter experimentado usar cenoura e curgete no espiralizador, lembrei-me de experimentar a batata-doce, porque achei curioso “espiralizar” um tubérculo. (Ah, só por acaso, depois de ter experimentado e fotografado a receita, também surgiu esta sopa com a batata-doce preparada da mesma forma, da Sarah do My New Roots, que não podia deixar de referir, porque parece deliciosa).

Se por acaso não acharem prática esta ideia dos “noodles”, ou simplesmente não gostarem de batata-doce, é claro que podem recorrer à massa de trigo ou noodles (de arroz ou trigo-sarraceno…). Apenas achei que seria interessante esta ideia porque pessoalmente gosto de molhos densos e aromáticos como este, e batata-doce (ver Caril de lentilhas e batata-doce).

Sweet potato laksa
(mais…)

5 bebidas para o Verão

Espero que estejam a aproveitar as vossas férias desse lado! E aposto que já pensaram em bebidas e batidos para hidratar nestes dias quentes… Pois bem, desta vez partilho-vos um artigo inteiramente dedicado a esse tema, onde poderão encontrar algumas dicas para melhorarem as vossas bebidas este verão, como a adição de frutas geladas para uma melhor consistência dos batidos, ou adição de frutos silvestres congelados, em vez de cubos de gelo. Espero que gostem!

Açaí cacao smootie
– Batido de cacau e açaí
Batidos com sabor a chocolate são sem dúvida os meus preferidos, mas gosto de os enriquecer com ingredientes nutritivos, mas que também contribuam para um sabor rico e uma consistência cremosa. Nesta receita juntei ½ banana congelada, mas, para cortar o sabor desta fruta, juntei o açaí congelado, que descobri que complementa bem o sabor mais amargo do cacau. O que resultou num batido que é um autêntico boom de antioxidantes e sabor!
Caso não consigam encontrar açaí, podem sempre substituir por ½ chávena de mirtilos congelados, ou outras bagas.

Ingredientes:
2 colheres de sopa de cacau
½ banana
100g de açaí congelado
½ chávena de bebida de amêndoa, ou outra

Prepare a banana e corte em fatias. Coloque todos os ingredientes no liquidificador, e triture até obter um batido cremoso. Se necessário, adicione mais bebida de amêndoa.

strawberry lemonade01
– Limonada de morango, menta e stevia
Nesta receita, fugi à tradicional limonada e tentei reduzir o conteúdo em açúcares, mas ao mesmo tempo dar-lhe mais sabor. Juntei morangos e menta, que contribuem com um óptimo sabor e aroma fresco. Para adoçar, para além dos morangos maduros, pode também juntar folhas de stevia, que depois de trituradas dão um sabor ligeiramente mais doce à bebida. Só recentemente é que descobri esta utilidade para a planta de stevia, que até agora não tinha servido nem para adoçar chás (porque as folhas têm de ser esmagadas), ou bolos (porque se as reduzirmos a pó persistem em tingir os doces de verde), para além de ocupar espaço no meu canto das aromáticas. Descobrir que podia juntar stevia a par de outras ervas aromáticas, como menta, em bebidas, foi provavelmente das melhores ideias que tive para bebidas este Verão, e não podia deixar de partilhar convosco.

Ingredientes:
1 chávena de morangos
2 chávenas de água
1 colher de sopa de sumo de limão
4-5 folhas de stevia (opcional)
2-3 folhas de menta

Prepare os morangos e corte-os em cubos. Coloque todos os ingredientes no liquidificador, e triture. Se necessário, adicione mais água, e ajuste a doçura a gosto. Sirva com cubos de gelo, fatias de morangos e de limão, e folhas de menta.

frozen berries1
tea and berries1
– Chá gelado com frutos silvestres
Até durante o verão gosto de beber chá ou infusões, mas tenho por hábito arrefecê-las antes de beber, e juntar outros sabores. Se por acaso fizer rooibos, gosto de adicionar canela e uma rodela de laranja, e se for de camomila, gosto da rodela de limão a perfumar a infusão ou gengibre. Mas por vezes também procuro sabores mais frescos, e pensei em juntar frutos silvestres congelados. Foi uma óptima solução porque para além de refrescarem o meu chá como cubos de gelo, também juntam alguma doçura e aroma.

2 chávenas da sua infusão ou chá preferido
½ chávena de frutos silvestres congelados
Rodelas de limão e folhas de menta a gosto

Arrefeça o chá ou infusão. Junte os restantes ingredientes.

green trpical smoothie1
– Batido verde com manga
Esta é uma das minhas receitas preferidas de batidos, e faz um óptimo pequeno-almoço! Junto legumes verdes como os espinafres, fruta, probióticos, gorduras saudáveis das sementes de chia, e uma proteína de qualidade (que é opcional, para quem tiver).

Ingredientes:
½ chávena de espinafres frescos
½ chávena de iogurte
½ chávena de manga congelada
½ banana congelada
1 colher de sopa de sementes de chia
2 colheres de sopa cheias (20g) de proteína vegetal (opcional)

Prepare as frutas e legumes. Coloque todos os ingredientes no liquidificador, e triture. Se necessário, adicione mais bebida.

papaya passion fruit smoothie
Batido de papaia e maracujá
Durante esta semana começaram a aparecer os primeiros maracujás no nosso quintal, e tinha de experimentar fazer um sumo com estes pequenos frutos curiosos. Afinal, não é a melhor forma de os aproveitar? Juntei uma papaia madura congelada ao sumo de maracujá, e resultou num batido cremoso e de sabor tropical!

Ingredientes:
½ papaia, congelada
Sumo de 10 maracujás
Bebida de amêndoa ou outra a gosto

Prepare a papaia no dia anterior e congele-a. No dia seguinte, prepare os maraujás, retirando-lhe a polpa, e coando-a, de forma a separar o sumo e as sementes. Coloque o sumo e a papaia no liquidificador, e triture. Se necessário, adicione mais bebida para ficar mais líquido.

Creme de brócolos e espinafres

sopa verde5
Os dias já estão a crescer, surgindo assim novos legumes nos mercados, que pedem receitas e confecções diferentes. Mas há certos que pratos que ainda assim não consigo deixar de lado nas estações que se seguem, e um deles é a sopa.
Uma das confeções culinárias que mais carcteriza a alimentação Portuguesa, a sopa está na nossa mesa todos os dias antes das refeições principais. É um hábito que enraizei em miúda do qual não dispenso. Mas se possível, gosto de fazer sopas variadas para fugir à sopa tradicional com base de batata, cenoura e curgete e as couves tenras cortadinhas. Nada contra esta versão, aliás, até é uma excelente forma de acrescentar mais vegetais na alimentação (para quem não gosta dos legumes crús, cozidos ou salteados), induz a saciedade, é uma boa fonte de vitaminas e minerais, e substâncias protectoras do nosso organismo, como antioxidantes, e ajuda a uma adequada hidratação.
Legumes
Desta vez fugi um bocadinho ao tradicional, e fiz um creme de espinafres e brócolos, com um pouco de gengibre, alho e salsa, para tornar a sopa mais aromática, sem necessidade de juntar colheradas de sal. As leguminosas (grão-de-bico), permitem que a sopa fique mais cremosa, sendo a adição de batata opcional.

Por fim, não é comum decorar as sopas, mas pareceu-me bem partilhar-vos uma das minhas mais recentes descobertas para levar as sopas e saladas a outro nível – o Dukkah. É uma mistura aromática de especiarias como cominhos, coentros, funcho e pimenta preta com avelãs tostadas crocantes, que deixam qualquer prato mais aromático. Podem, no entanto, decorar a sopa com algumas folhas de salsa, fatias de rabanete, ou rebentos, e um fio de azeite, para uma guarnição igualmente apelativa (e nutritiva!).
dukkah
(mais…)