Gengibre

Pudim de lima e abacaxi

Uma das razões que me impede de publicar receitas com a mesma frequência, prende-se com uma novidade que vos tenho omitido nos últimos meses, que é a publicação de um livro. Para além da conceção do livro, estou também envolvida em alguns projetos fora do espectro do blog, de âmbito profissional, que também me têm consumido algum tempo, mas que espero conseguir conciliar da melhor forma e, ainda assim, trazer-vos um livro inovador, com receitas facilmente colocadas em prática no dia-a-dia, e informação objetiva e de fácil compreensão pelo público em geral. Não vos posso adiantar mais informações neste momento, para além do facto de que a publicação do livro será em 2017.

Pudim de lima e abacaxi7.2
Relativamente à receita que vos partilho hoje, vou pressupor que sobremesas frescas ainda serão bem aceites por estes dias e, por isso, vou partilhar convosco a sobremesa que fiz no último workshop que tive oportunidade de realizar. Trata-se de um pudim simples que combina os sabores frescos da lima e o abacaxi, picante do gengibre, e o aroma delicioso do anis estrelado. A base deste pudim, leve, e de sabor a coco, resultou da adição do espessante agar, sendo que, já não é a primeira vez que utilizo por aqui este ingrediente mas, só agora consegui compreender melhor o sua utilização na culinária vegetariana.

O agar, um produto derivado de algumas espécies de algas vermelhas, é frequentemente utilizado no âmbito da culinária na substituição da gelatina.
Pode ser encontrado comercialmente em pó ou em flocos, sendo que a sua utilização difere consoante a apresentação. O agar em flocos deve ser adicionado a líquidos quentes, para ocorrer a dissolução do mesmo, enquanto o agar em pó pode ser dissolvido em líquidos frios. O líquido deve ser, posteriormente, levado à fervura. Em receitas que utilizem gelatina, o agar em pó pode substituir este ingrediente, na mesma proporção. No entanto, o mesmo não acontece com o agar em flocos, onde devem ser utilizadas 2 colheres de sopa, por cada colher de chá de agar em pó.
O agar é um bom espessante, e não requer a refrigeração para a firmeza desejada da nossa sobremesa. No entanto, o resultado pode ser ligeiramente opaco, e menos claro do que a gelatina. A firmeza do gel é influencia pela concentração, tempo, pH e conteúdo em açúcares, assim, a diminuição do pH, e um maior conteúdo em açúcares vão levar à formação de uma textura menos coesa, explicando a minha dificuldade em conseguir chegar a uma quantidade óptima de agar para a firmeza e textura pretendida nesta receita…

Por fim, relativamente à receita, podem utilizar outras frutas, sendo que esta base de coco e lima também resulta muito bem com manga caramelizada, por exemplo. Ou, podem omitir a lima, juntar um pouco de sumo de limão, e cobrir com uma calda de frutos vermelhos, por exemplo, assemelhando-se a uma panna cotta.
Deixo-vos agora a receita, espero que gostem!

Pudim de lima e abacaxi9.1
(mais…)

Batido de framboesa e meloa

Batido de meloa e framboesa2
Já tinha saudades de fazer batidos, por isso estes dias experimentei diferentes combinações de frutas da estação. Gostei especialmente da combinação que partilho hoje, de meloa e framboesas, pois resultou num batido diferente, mas agradavelmente fresco, adocicado e saboroso. A adição de menta e gengibre eleva um bocadinho o sabor fresco deste batido, mas é opcional. Juntei também flocos de aveia e iogurte natural, resultando num batido de consistência mais cremosa, e, por fim, creme de amêndoa pelo ligeiro sabor tostado das amêndoas.

framboesas1
(mais…)

Sopa de lentilhas e abóbora, com azeite aromatizado

Tenho o hábito de iniciar quase sempre as refeições principais com uma sopa de hortaliças e legumes, que não variam muito da cenoura, abóbora, curgete, e couves, grelos ou espinafres, de acordo com a disponibilidade de vegetais na horta. Mas também vario, e gosto de fazer sopas mais densas, às vezes no lugar da refeição principal, com leguminosas variadas, e outros legumes, e com especiarias e ervas aromáticas.
Desta vez fiz um creme de lentilhas vermelhas com abóbora, gengibre, raspa de uma laranja, e os habituais condimentos. Servi o creme guarnecido com amendoins tostados porque se este creme fosse uma refeição principal (vegetariana), achei que deveria ser enriquecido nutricionalmente com alguma proteína, e gorduras. Mas é também uma forma de juntar outras texturas ao creme.

Sopa de lentilhas e abóbora3
A ideia de aromatizar o azeite pareceu-me interessante, pois achei que poderia ser mais um veículo de sabor e aroma nas marinadas, ou na finalização de pratos, como saladas, e em pratos quentes como sopas.
A receita que vos partilho tem um procedimento diferente das receitas que vão encontrar online. A ideia de aquecer a gordura e voltar a armazená-la simplesmente não me parecia correcta, e por isso para fazer este azeite aromatizado, preferi juntar o piripiri seco (moído ou não), as estrelas de anis e o louro seco, e esperar 1 semana até que desvolvesse o aroma que procurava. Depois podem, ou não, coar o azeite, e está pronto a ser usado. Em alternativa ao louro, podem utilizar outras ervas aromáticas secas da vossa preferência, mas não recomendo a utilização de ervas frescas, pois diminui significamente o tempo de prateleira do mesmo. Para além do piripiri também podem juntar pimenta em grão ou bagas de zimbro.

Sopa de lentilhas e abóbora1.5
(mais…)