Gengibre

Cacau quente com chai

Antes de iniciar o verdadeiro conteúdo desta publicação quero agradecer a todos pelas palavras fantásticas e inspiradoras que tenho recebido estes dias. É muito gratificante para mim ser elogiada pelo meu blog, e é, sem dúvida, a melhor forma de reconhecimento do trabalho de alguém. Também estou muito grata a todos os que responderam às últimas perguntas do último artigo, e me deram sugestões para 2014 e disseram que receitas tinham experimentado. Enche-me de motivação quando recebo feedbacks contempladores daquilo que vos partilho, e são estes pequenos gestos que me dão ainda mais força para continuar a evoluir.
Cocoa chai
Já há algum tempo atrás, numa altura em que senti “as minhas defesas” em baixo aventurei-me a fazer chai. Pensei que uma bebida tão rica em especiarias me poderia fazer sentir melhor. E adorei tudo nesta bebida, o aroma, o sabor forte, e aquela sensação “quentinha” das especiarias que a bebida deixa na garganta.
Entretanto achei que estava na altura de partilhar com vocês. Tornou-se A bebida do inverno.

Para quem não conhece, explico. O Chai é o chá na Índia. Mas o que vos partilho hoje é Masala Chai. Já tinha explicado que masala significa mistura de especiarias na Índia, portanto Masala Chai é basicamente uma bebida com chá preto, leite e imensas especiarias que conferem a cada bebida um sabor único. Esta bebida geralmente contém especiarias como canela, cardamomo, cravinho, gengibre, noz-moscada, pimenta-preta, sementes de funcho, entre outras. A mistura de especiarias pode variar muito, consoante os gostos e tradições, assim como a forma como o chai é confecionado.
Cocoa chai
Nota: Quem prefere abster-se da cafeína recomendo que escolha um chá preto sem cafeína.
E não achem estranha a adição de bebida vegetal o chai. Como adiciona alguma gordura, realça o aroma das especiarias, e torna a bebida mais densa. Eu utilizei bebida de soja.
Cocoa chai (mais…)

Queques de nozes e mirtilos secos

Walnut dried blueberry muffins

*Esta receita foi adaptada do site Vegan Baking. Baseei-me nas proporções de farinha, leite e tâmaras, mas modifiquei o sabor. Podem ver a receita original aqui.

Queques de nozes, mirtilos secos e chia ( vegan, sem lactose, sem ovos, sem açúcar)

1 ¾ chávenas (420ml) de leite vegetal
1 colher de sopa de vinagre de cidra
1 ½ chávenas (180g) de farinha de trigo integral
½ chávena (60g) de farinha de trigo branca
2 colheres de sopa de sementes de chia (ou linhaça se não tiver, opcional)
1 colher de chá de fermento em pó, baking powder
1 colher de chá de bicarbonato de sódio
1 ¼ chávenas (210g) tâmaras (cerca de 30), sem caroço e cortada
½ chávena (120ml) de óleo (utilizei de amendoim)
1 colher de chá de canela em pó
1 colher de chá de gengibre em pó
½ colher de chá de sal marinho
1 colher de chá de extrato de baunilha (opcional)
½ chávena (65g) nozes picadas
½ chávena (80g) mirtilos secos

Pré-aqueça o forno a 160ºC (325ºF).
Numa tigela média, misture o leite vegetal com o vinagre de maçã. Deixe coalhar durante 10 minutos.
Enquanto o leite vegetal coalha, misture as farinhas, o fermento químico e o bicarbonato de sódio numa taça grande.
No processador de alimentos, junte as tâmaras, óleo, canela, gengibre, sal e extrato de baunilha. Adicione o leite coalhado, e triture até obter uma mistura cremosa. Junte esta mistura de tâmaras à taça das farinhas, e misture tudo. De seguida, adicione as nozes e mirtilos secos.
Nas formas de queques, coloque as forminhas de papel. Coloque porções iguais de massa em 12 ou 14 formas de queques. Leve ao forno durante 25 a 30 minutos ou até que um palito inserido saia limpo. Depois de retirar do forno, deixe arrefecer à temperatura ambiente.

Informação nutricional (1 queque): 238,5 kcal, 4,1g de proteína; 30,3g de hidratos de carbono (dos quais 12,1g são açúcares); 12,2g de gordura total; 4,8g de fibra.
Walnut dried blueberry muffins (sugar free!)

Recipe in English

*The original recipe is from the website Vegan Baking. I used the same proportions of milk, flour and dates, but changed some other flavors. You can check out the original recipe here.

Walnut, dried blueberry and chia muffins (vegan, lactose free, egg free, sugar free)

1 ¾ cups (420ml) non-dairy milk
1 tablespoon apple cider vinegar
1 ½ cups (180g) whole wheat flour
½ cup (60g) all-purpose flour
2 tablespoons chia seeds
1 teaspoon non-aluminum baking powder
1 teaspoon baking soda
1 ¼ cups (210g) dates (about 30), pitted and quartered
½ cup (120ml) oil
1 teaspoon cinnamon powder
1 teaspoon ginger powder
½ teaspoon sea salt
1 teaspoon vanilla extract (optional)
½ cup (65g) chopped walnuts
½ cup (80g) dried blueberries

Preheat your oven to 160ºC (325ºF).
In a medium bowl, whisk together non-dairy milk and apple cider vinegar. Let it sit for about 10 minutes so the non-dairy milk curdles.
While the non-dairy milk curdles, whisk together whole wheat flour, all-purpose flour, baking powder and baking soda in a large bowl.
In a food processor, add dates, canola oil, cinnamon, ginger, cloves, salt and vanilla extract. Add the non-dairy milk and apple cider vinegar mixture and process until smooth. Add the date mixture to the bowl containing flour. Mix until incorporated, and then stir in the walnuts and blueberries.
Line muffin pans with cupcake liners. Pour the batter into 12 to 14 muffin pans. Bake for 25 to 30 minutes or until an inserted toothpick comes out clean. After removing from the oven, let cool at room temperature.

Nutritional value (1 muffin): 238,5 kcal; 4,1 g protein; 30,3 g carbohydrates (12,1g sugars); 12,2 g total fat; 4,8 g of fiber.
Walnut dried blueberry muffins

Almondegas de lentilhas com molho de coco e tomate + Brócolos assados

Lentil Balls with coconut milk and tomato sauce3
Curiosamente uma das primeiras receitas que fiz quando comecei a introduzir mais refeições vegetarianas na alimentação, foram almondegas de lentilhas. As primeiras tentativas ficaram horríveis, todas desfeitas, e sem sabor. O que na altura me deixou dececionada, e levou a minha mãe a duvidar da cozinha vegetariana. Mas agora, com mais alguma prática, relembro o que fiz, e apercebo-me da minha natural inexperiência, e acho engraçada a ambição de quem nunca tentou procurar a perfeição.
E passados 2 anos, já domino as almondegas de lentilhas, e já levo a minha mãe a questionar se ainda vale a pena servir as tradicionais para o resto da família. O que me faz pensar, que apenas com a minha persistência lá consegui, e que isto se aplica tudo.

You may encounter many defeats, but you must not be defeated. In fact, it may be necessary to encounter the defeats, so you can know who you are, what you can rise from, how you can still come out of it.” ― Maya Angelou.

Lentil Balls with coconut milk and tomato sauceA segunda receita, os brócolos assados, lembrei-me de vos partilhar porque é das minhas formas preferidas de os preparar, e porque realmente não tinha muitas receitas com estes verdes fantásticos aqui no blog.

(mais…)