Pizza de Tomate Seco com Crosta de Couve-Flor

Pizza de Tomate Seco com Crosta de Couve-Flor

Pratos principais eacompanhamentosed-amine-

Pratos Principais & Acompanhamento

Pizza de Tomate Seco com Crosta de Couve-Flor

Couve-flor, Curgete, Farinha de grão, Leguminosas, Manjericão, Pimentão doce, Rúcula, Tomate, Tomate seco,
Dificuldade
0
28 Julho, 2015
/
5

Esta semana reinventamos a pizza. Mas massa não é alta e fofa, ou baixa e crocante, nem é gordurosa. (Ok, se calhar é um bocadinho gordurosa). É feita essencialmente de vegetais, e a base é sem gluten, feita a partir de couve-flor e farinha de grão.
Reinventar receitas tradicionais por aqui já não é uma novidade, e cá em casa também não ficaram muito surpreendidos quando disse que ia fazer uma pizza essencialmente a partir de vegetais, excepto o meu irmão adolescente que me questionou o porquê de colocar “arroz” na pizza, que na verdade era couve-flor. Quando lhe disse o que era ele ficou a olhar para mim incrédulo e murmurou entre dentes qualquer coisa sobre o facto de eu colocar vegetais “escondidos” em quase tudo (para desgosto dele)… É verdade, e não vejo porque não experimentarmos, porque afinal, conheço bastantes pessoas que ainda não suportam ver os vegetais no prato. Esta pizza é um exemplo disso, onde coloco couve-flor bem triturada na base, e não tivesse eu dito de que era feita a pizza, provavelmente ninguém imaginaria que continha couve-flor (e assumiam que a levedura tinha passado do prazo, ou qualquer coisa assim, para ficar tão baixa...).

Como já referi, a base é feita de couve-flor, linhaça (para tornar a base mais coesa), óregãos, e farinha de grão. Usei farinha de grão porque a amêndoa moída é um ingrediente mais caro, e pareceu-me uma boa alternativa numa receita de pizza sem gluten, (se for esse o caso), senão, podem juntar qualquer farinha que tenham por casa, mas ajustem a quantidade consoante a humidade da massa. Depois de levar a base ao forno, juntei um molho de tomate inspirado no molho Romesco que vos partilhei recentemente, e que combina sabores Mediterrâneos que adoro. Cubri finalmente com curgete laminada, tomate seco, por ter um sabor ligeiramente fumado, e azeitonas de cura tradicional. E no fim, umas folhas de rúcula e ervas aromáticas, mas também um fio de molho pesto, só porque é aromático, e o azeite, como gordura, contribui para uma maior palatabilidade desta versão reinventada da pizza.
Podem experimentar toppings diferentes daqueles que vos sugiro, e usar o molho de tomate habitual, ou os ingredientes que mais gostarem de juntar à pizza convencional.

Pizza de curgete e tomate seco com crosta de couve-flor
Serve 2

1 couve-flor pequena
¾ chávena (80g) de farinha de grão-de-bico (ou outra, como amêndoa moída ou até mesmo de trigo)
3 colheres de sopa de sementes de linhaça moídas + 9 colheres de sopa (135 ml) de água
1 colher de chá de óregãos secos
Uma pitada de sal e pimenta preta

Toppings:
½ curgete, laminada ou cortada em fatias
5 tomates secos (hidrate antes de juntar à pizza)
1 colher de sopa de azeitonas, sem caroço
½ chávena de rúcula
Molho Pesto
Molho de tomate e pimento vermelho (receita em baixo)

Pré-aqueça o forno a 200ºC.
Prepare a couve-flor, e triture no processador de alimentos até ficar em grãos miúdos, mas com um aspecto solto (e não em papa).
Misture as sementes de linhaça e a água, mexa bem, e depois junte os restantes ingredientes. Forme um bola com a massa. Amasse gentilmente, e, se necessário, adicione mais farinha. (Esta massa não se assemelha a massa pizza normal, com trigo, por isso não espere que se seja fácl de trabalhar ou elástica)
Numa forma com papel vegetal, molde a massa suavemente, de forma a fazer um círculo.
Leve ao forno cerca de 25 minutos, ou até ficar bem dourada.
Enquanto a massa vai ao forno, prepare os toppings.
Retire a base do forno. Cubra com molho de tomate, curgete, tomates secos, azeitonas, e volte a colocar a pizza no forno, mais 5-10 minutos. Tire a pizza do forno e junte molho pesto a gosto, ervas frescas e rúcula. Sirva.

Molho de tomate e pimento
2 colheres de sopa de azeite
1 colher de chá de orégãos secos
½ cebola média, picada
2 dentes de alho, picados
2 tomates maduro, pelados e cortados em cubos
½ pimento vermelho, cortado e tiras
2 colheres de sopa de salsa picadinha
1 colher de chá de colorau
¼ colher de chá de pimenta cayenne
Uma pitada de sal e pimenta preta

Aqueça numa panela o azeite, e junte os orégãos, alho, cebola, pimento e os tomates cortado em cubos. Deixe o refogado cozer alguns minutos, de forma a deixar os vegetais libertarem os seus sucos. Assim que o tomate estiver completamente reduzido a molho, junte os restantes ingredientes, a salsa picada, o colorau, pimenta e sal. Prove e ajuste os temperos a gosto. Deixe o molho cozer mais alguns minutos, de forma a ficar reduzido, e concentrado em sabor. Por fim, triture o molho com uma varinha mágica, e cubra a base da pizza.

Recipe in English

Dried tomato zucchini pizza with cauliflower pizza crust
Serves 2

1 small cauliflower
3/4 cup (80g) chickpea flour (or almond flour)
3 tablespoons ground flax seeds + 9 tablespoons (135ml) water
1 teaspoon dried oregano
A pinch of salt and black pepper

Topping:
½ zucchini, shaved
5 dried tomatoes (rehydrate before using)
1 tablespoon olives, pitted
½ cup arugula
Pesto sauce
Bell pepper tomato sauce (recipe bellow)

Preheat oven to 200ºC.
Chop cauliflower and blend in a food processor, until a kind of “riced” fluffy consistency.
Whisk flax with water and mix all of the rest of the crust ingredients together and form into a ball. Gently knead, and, if necessary, add more flour. (Don’t forget this will not resemble regular pizza dough, it won’t be as easy to work with).
Press “dough” down onto a baking sheet lined with parchment paper, and gently mold into a circle.
Pre-bake for 25 minutes or until golden.
Meanwhile, prepare the pizza topping. Remove the crust from the oven. Cover it with tomato sauce, shaved zucchini, dried tomatoes, olives and put it back in the oven for 5-10 more minutes. Take it out the oven and top with pesto, fresh herbs and arugula. Serve.

Bell pepper and tomato sauce
2 tablespoons olive oil
1 teaspoon dried oregano tea
½ medium onion , chopped
2 cloves garlic , minced
2 ripe tomatoes, peeled and diced
½ red pepper , cut and strips
2 tablespoons finely chopped parsley
1 teaspoon paprika tea
¼ teaspoon cayenne pepper tea
A pinch of salt and black pepper

In a small sauce pan, heat olive oil, and add dried oregano, garlic, onions, bell pepper and tomatoes. Cook for a few minutes. Once the tomatoes are completely reduced to sauce, add the remaining ingredients: chopped parsley, paprika , pepper and a dash of salt. Adjust seasonings to taste. Let the sauce cook a few more minutes, to be reduced, and concentrated in flavor.

    • 28 Julho 2015 / 13:31

      Também tenho indagado bastante nas várias utilizações da couve flor há algum tempo e a verdade é que é uma opção fantástica. Gosto particularmente da versão couscous 😉

    • 28 Julho 2015 / 14:24

      Em tempos fiz uma pizza de courgette, para logo de pois experimentar a a pizza de couve flor (o problema é que eu e couve flor não somos grandes amigas, mas ainda assim lhe dei uma oportunidade.
      Com isto quero dizer que vou voltar a experimentar, mas desta vez com a tua receita – quero mesmo muito experimentar esta base, sem ovos nem queijo (como a minha teve em tempos).
      Adoro recriar receitas mais típicas 🙂 Quando experimentar a pizza, conto como correu 😉
      Um beijinho,
      Teresa | A Cozinha da Ovelha Negra

    • 07 Agosto 2015 / 12:23

      Ficou linda, linda. E estou mortinho por testar 🙂

    • margarida
      18 Agosto 2015 / 16:23

      Olá Márcia, mais uma vez, obrigada pelas receitas! são uma inspiração para nós que gostamos de comida saudável e com sabor. em relação à receita da base para pizza, em vez da farinha de grão de bico, qual a que achas mais adequada: integral de espelta, centeio ou de trigo? estas tenho em casa e queria aproveitar para usar o que já tenho. A verdade é que não sei bem a diferença entre estas farinhas e quais as melhores. obrigada

    • Nuno Santos
      27 Outubro 2015 / 12:29

      Gostei e muito.
      Pondero seguir esta forma de alimentação.

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Outras Receitas que merecem destaque