Sugestões de Natal Compassionate Cuisine + Chocolate com amêndoas e cranberries

Sugestões de Natal Compassionate Cuisine + Chocolate com amêndoas e cranberries

sobremesased-amine-

Sobremesas & doces

Sugestões de Natal Compassionate Cuisine + Chocolate com amêndoas e cranberries

Amêndoas, Chocolate, Cranberries,
Tempo de preparação 20 minutos
Dificuldade
12 Numero de Porções: 12x sobremesased-amine-
0
3 Dezembro, 2013
/
11

O Natal está a aproximar-se, juntamente com todo o sentimento de nostalgia associado. É das poucas épocas do ano em que vejo alguns familiares por quem tenho algum carinho, e admiro essa capacidade simbólica desta festividade de juntar as famílias. Também admiro a solidariedade que se manifesta em maior escala nesta altura, mas que não deve ser esquecida durante o ano.
É também uma altura de partilha de carinho, que aprecio mais pelos gestos das pessoas do que pela partilha de bens materiais. E acredito que as melhores prendas são aquelas que tem um valor emocional associado. Em parte, manifesto estes sentimentos porque no que toca a bens materiais, nem sempre fazemos compras conscientes e sustentáveis, e sendo o Natal um período de maior consumismo, achei interessante abordar esta temática. Também vou falar num próximo artigo acerca da própria ceia de Natal, mas para já vou cingir -me às prendas.

No que toca a prendas, tentei impor algumas regras, aquelas que aplico enquanto consumidora consciente. Vou começar pela roupa.
No momento da compra de roupa, algumas das minhas preocupações incluem o material de que é produzida a peça, isto é, se tem produtos animais. É claro que para alguém que se preocupa com o bem-estar animal, não faz qualquer sentido utilizar casacos de pele ou couro, provenientes de uma industria terrível, que apenas mata animais para esse fim. Também tento preferir peças feitas de algodão biológico, bamboo, ou até cânhamo, que são menos ofensivas para o planeta. Seguidamente procuro o local de produção desta peça. Se a peça foi feita na China por trabalhadores completamente explorados e despromovidos de quaisquer direitos laborais, prefiro não comprar. Não quero contribuir para marcas que apenas se preocupam com o seu lucro, e não com as condições em que os seus funcionários trabalham. Por isso prefiro que seja produzido na Europa, e, melhor ainda, em Portugal. Não só estará a contribuir para a economia nacional, como também reduz a pegada ecológica quando compra um artigo que não precisa de tanta transportação.
A parte mais complicada é arranjar vestuário que realmente cumpra estes meus requisitos. Admito que nem sempre cumpro todos. Mas a minha regra mais importante é mesmo evitar o consumismo.
Algumas marcas que conheci e que considero serem verdadeiramente conscientes são:
– Conheci a BrainTree na Holanda e tornou-se numa das minhas preferidas. Vende vestuário casual feito a partir de algodão biológico, cânhamo e bamboo. Na fotografia acima podem ver dois exemplos de peças que comprei desta marca.
– Agora promovendo o que é nacional, a Nae é uma marca de calçado vegan, com preocupação na sustentabilidade ambiental.
– Não poderia deixar de falar da Marlene Oliveira, criadora dos Tecidos Ecológicos, e a primeira estilista Portuguesa com preocupação ambiental, e a criar tecidos 100% vegan. Há algumas semanas, que olho para estas malhinhas para fazer um cachecol único.
– Outras marcas que também me captaram o olho foram a People Tree, (talvez pelas camisolas bastante expressivas), Sea Salt, e também podem ver outras marcas aqui nesta página.

Enquanto consumidora consciente a minha preocupação também se estende aos cosméticos. Tenho preferência por aqueles que não são testados em animais e são isentos de produtos animais. E neste momento também já procuro a cosmética biológica.
Já existem algumas marcas interessantes no mercado que se manifestam contra os testes em animais, uma delas é a The Body Shop, e foi lá onde comecei por comprar os meus cosméticos após me tornar vegetariana. Depois encontrei a Pronatural que vende alguns cosméticos vegan e biológicos. Também sou fã da Organii, uma loja que vende apenas cosméticos biológicos. Apesar de serem ligeiramente mais caros do que os convencionais, estou bastante satisfeita com a qualidade e durabilidade dos seus produtos. Por fim, cruzei-me recentemente com o trabalho da engenheira química Sofia Vieira, que produz cosméticos biológicos e vegan espetaculares! Na foto abaixo podem ver um produto que lhe comprei, o baton hidratante de cânhamo. Adorei essencialmente a pureza deste produto. Uma composição simples e portanto isento de qualquer químico prejudicial, de qualidade excelente e feito em Portugal. Podem encontrar as fotografias dos seus produtos na página de facebook, e encomendar.

Para terminar, outras prendas que também ofereço são livros. Estender o conhecimento de alguém que lhe é querido é sempre uma ideia interessante, e não serão os livros a melhor forma de o fazer?

E por fim, porque não oferecer um doce feito por nós? Não me recordo de uma única vez que o tenha feito e a pessoa não tenha esboçado um grande sorriso. Algumas das minhas sugestões para oferecer no Natal incluem granolamanteiga de frutos gordos (amêndoa, amendoim…), bolachastrufas de chocolatechocolatinhos com recheio de avelã, ou então um chocolate de amêndoas.

Chocolate de amêndoas e cranberries (vegan)
200g de chocolate negro
½ chávena (40g) de amêndoas
2 colheres de sopa de cranberries secos
Raspa de laranja (opcional)

Corte o chocolate em cubos. Pode derreter o chocolate em banho-maria, lentamente, ou no microondas, numa potência média, primeiro durante 1 minuto, e depois em intervalos de 30 segundos, mexendo o chocolate, até obter a consistência desejada. Junte as raspas finas de laranja, para um chocolate mais aromático.
Numa folha de papel vegetal, espalhe o chocolate numa camada da altura que desejar. Coloque por cima as amêndoas e cranberries. Deixe arrefecer durante 1 a 2 horas à temperatura ambiente, até ter solidificado.
Guarde num recipiente fechado no frigorífico.

Recipe in English

Chocolate bark with almonds and cranberries (vegan)
200g dark chocolate
½ cup (40g) almonds
2 tablespoons dried cranberries
Orange zest (optional)

Cut the chocolate into cubes. You can melt the chocolate in a double boiler, slowly, or in the microwave on medium power for 1 minute, stir, continue cooking in 30-second bursts, stirring after each, until chocolate is melted. Add the fine orange zest for a more aromatic chocolate.
Spread melted chocolate onto parchment paper. Sprinkle the almonds and cranberries. Let cool for 1 to 2 hours at room temperature until the chocolate is solidified.
Store chocolate in a closed airtight container, in the refrigerator.

    • 03 Dezembro 2013 / 16:12

      Que lindo! E tão fácil de fazer!
      Fotos lindíssimas! Parabéns! Adoro o blog!
      Beijinho

      Sílvia
      http://bocadinhosdeacucar.blogspot.pt/l

    • 03 Dezembro 2013 / 18:13

      Hey Márcia! We just wanted to leave a little message to say thank you for featuring us on your lovely blog 🙂 Love the recipe too – simple and delicious – will definitely be trying this one ourselves. Thank you again!
      Best Wishes, Braintree X
      http://www.braintreeclothing.com

      • 04 Dezembro 2013 / 22:38

        Hey Braintree! Thank you guys for commenting! I never thought you would actually see my blog, but I’m glad you liked the post! 😉
        Best wishes!

    • umaovelhanoquintal
      04 Dezembro 2013 / 16:40

      Márcia
      Adorei as sugestões de marcas de tecidos sustentáveis, especialmente a marca portuguesa Tecidos Ecológicos. Subscrevo a tua regra principal: evitar o consumismo. Já não compro roupa há muito tempo e tomei a decisão de fazer as minhas próprias peças. Claro que há coisas mais complicadas e que um dia que se estraguem serão substituídas por outras que terei de comprar. Por outro lado, com esta decisão de fazer roupa em casa, também acabamos por descobrir que as coisas feitas por nós são cuidadas de outro modo e mais valorizadas . Na verdade, precisamos de muito poucas coisas, não é? Ficamos com mais espaço disponível, perdemos menos tempo (lavar, passar, arrumar, escolher) e aprendemos a reciclar: camisas de algodão que se podem transformar em guardanapos, casacos de fazenda que se aproveitam para fazer saias, etc. Faz-me muita confusão assistir a esta espiral insana de consumo; roupas que se compram para durar um par de meses e que são confecionadas por pessoas cujas condições desumanas de trabalho fazemos questão de ignorar.

      • 04 Dezembro 2013 / 22:37

        Concordo plenamente contigo! Provavelmente as peças que fazemos serão muito mais valorizadas do que aquelas que compramos em lojas para usar durante apenas 2 ou 3 meses…
        E adorei a expressão “espiral insana de consumo”. Infelizmente este ambiente pro-consumismo bem se agrava nestas alturas, o que também a mim me faz confusão.
        Muito obrigada pelas tuas palavras. 🙂

    • 06 Dezembro 2013 / 21:39

      Gostei imenso das tuas sugestões 🙂 Já conhecia algumas lojas, como a nae, os tecidos ecológicos (também ando de olho nas malhas!!) mas gostei muito da braintree, não conhecia e tem coisas absolutamente fantásticas!

      Esse chocolate é um belo presente, vai ficar na minha lista de ofertas! 😉

      Quanto aos produtos da Sofia Vieira tenho pena que não dê para ver, o albúm deve estar bloqueado a visitas fora do circulo de amigos, não dá para ver 🙁 mas também gosto desse tipo de cosméticos e é sempre bom estarmos a ajudar algo português!

      beijinho*

    • 06 Dezembro 2013 / 23:51

      Olá márcia, estou ctg na escolha de presentes. É mto bom ver que o nr de pessoas contra o uso de produtos testados em animais e de origem animal é cada vez maior. É uma lufada de ar fresco.
      Tb quero esse prsentinho! Está a fazer-me olhinhos!
      Bj
      Sara

    • 09 Dezembro 2013 / 16:46

      Ah, este foi um post muito legal

    • Lucia
      07 Outubro 2015 / 21:15

      ….achei esse blog por acaso, procurando receitas vegetarianas….obrigada …seu blog e muito bom!

    Deixe uma resposta

    O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Outras Receitas que merecem destaque